segunda-feira, 11 de junho de 2018

SILÊNCIO

Eduardo Salavisa - «Semana Ilustrada» -
- fotografado do «P2», de 10 - 06

- se o SILÊNCIO é de OURO... 
( e não haverá DIN. que o pague...) 
... não o é este (M. vai cumprir CASTIGO...)

- resta esperar pela Barulheira, para reentrar no Modo SILÊNCIO

- Well....

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Fecho, II - 1819, a caminho

- 9 e 30...:
à Janela-Varanda da DCL: velhos, muitos; o ARR à Esq.; turistas Locais...

- das 11 às 13:
3.º BLoco - o dos BURG.; discutiu-se o uso BAC. do Tamag....; alguém referiu «Pré-PSCPT.as»...

- das 14 às 15 e 30:
2.º Bloco, «sem Espinhas» 

FIM; Fecha o ALPA; abre o PERI; venha 1819 - OBJ: 6%

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Fecho, I

- 11 e 30: 
só hoje M. soube que M. S. (que substituiu T. A.) vem diariam. de... Tomar... [«porta-aviões ao fundo»]
[«Jornal de Parede» - neste ano partilhado com o ARQ. P. M. - desmontado...]
- 14 e ...:
Cerim. de entrega do prémio do CONC. [...]; premiadas muito jovens, [...] 
- 16 e 30:
até às 18 e 45, C. de T. do 1.º Bloco; EX., mas já está...

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Casa do Alentejo, do 603


- são 9 e 10 ...    [ainda só, no 603, "Olhó Balão"....]

- e o Mestre da Frente, Qd.o 604, continua a falar no Jantar de FIN..., na C. do AL.; diz que «ainda vai tentar baixar o preço» (16?)....; 
- entre cardápios, etiquetas, «mise en Place», «em Abyme», não, deve ter esgotado o Assunto; 
- M., que trabalhou no Meio, já grita: «Tirem-me daqui!»

- 9 20: «vou apresentar, muito rapidamente, um «PP» sobre o [...]»

domingo, 27 de maio de 2018

J. F., 39, de Regresso

Fotografado do «P2»
- «Meu Deus, tantos cabelos brancos...» 
- foi assim que M. interrompeu o peq. almoço de J. F., na sexta, pelas 9 e [...], na DCL, perto de onde «tem o ateliê»
- não reconheceu D. «à primeira», mas, depois de reparar nos jornais de M. [...]; 
- durante a curta conversa, falou dos 9, 10 anos em Londres e do Regresso...
- Motivo: «os Filhos, porque...»         [«e o resto não se diz...»]
- por coincidência, no P2 de hoje..., Rita P.,  com este «ex-AA», de 3.º Bloco Gráf., em 9697... :
(o primeiro de D. na E. do Paraíso; um dos Blocos, opostos, que lhe permitiram «perceber» quase tudo...; ...o que permanece, com diferenças, poucas ....)
Recorte:
«Estudou Pintura, tornou-se ilustrador e não consegue imaginar-se numa profissão longe da narrativa. Não tarda, começa a escrever.»

terça-feira, 8 de maio de 2018

Esticar ou não Esticar (o Pernil)

André Carrilho, «Carreira suspensa»
DN, 10 - 06 - 2018

.. (uma) INSP. (...)
- à tarde, era para ter sido das 15 às 17; foi até às 18 e 45... Uff!
- (nos próximos dois dias, nada de cantorias pelos CORR.s, ó M.)
- na última intervenção (primeira da Figura Masc.)  (C. V., vice ..., ao lado de B. de C., dias mais tarde...):
«a competição, pelo Disc., vai ser Feroz» (Well...)

- a melhor Frase: «Não bate a Bota com a Perdigota»
- a mais batida: «Prestação de Serviços»
- o pior, para M: não poder Esticar o Pernil... (salvo seja...)



segunda-feira, 7 de maio de 2018

Sim, Sim, está Vivo... [e faltam 17 Unidades de Conta...]

- (em 1516, talvez, uma «EX», num BLG paródico conotado com «Fritaduras», perguntava o mesmo...
... se o BAC ainda se arrastava pelo Paraíso...)

- o «emel» era da tarde, mas M. só o viu à noite; M. B. G. (também A. P.) [0910 + 1213] juntava várias perguntas rápidas sobre o anterior...; na resposta, D. destacou M., a «Cometa», a celebrar em breve o 2.º ANIV...

quarta-feira, 2 de maio de 2018

«George», por A. M. + reedição de M. J. de Carvalho

- A. M., (do 3.º Bloco), pelas 11 e ..., lapidar: 
«A falar sobre a Morte toda a gente se entende.» 
[parafras. S., M. do C.: «Mas de onde é que lhes vem isto?»

- tem sido a surpresa do p., melhor, do ano; de M. J. de Carvalho, D. tinha 3 ou 4 livros, que não sabe por onde andam (aonde foram parar) - 
- GRande Literat.. = (curto) Conto que, a cada releitura...

- e no final de Maio, chega a notícia da reedição da obra de M. Judite de Carvalho -por exemplo, AQUI + AQUI

terça-feira, 10 de abril de 2018

Manuel da Fonseca

- na sexta, M. recuperou três dos títulos de M. da F.,  nas estantes do  P.; desde aí anda «desesperado», pois não sabe por onde andam os restantes, alguns autografados à General...
- ainda que pouco esperançado, foi ontem ao V. da G., à B. e à FNC, ver se algum sobrevivia...; na segunda, uma jovem Atendedora 
(certamente LIC. mas que lhe fez lembrar a «Velha que fazia crochet na moribunda livraria do Ch», da Crónica de J. S. M....), 
depois de consultar o COMP., mostrou a Capa de um título de ... Manuel S. Fonseca...
[...]

segunda-feira, 9 de abril de 2018

«Todo o Mundo é composto de Mudança?»

[1.º dia da (curta) 3.ª Etapa..., pouco Prometedor...]

- já o meio dia ia longe, e o Nível no 3.º Bloco continuava a ser tão..., tão..., que, para manter a S. M., M. teve que sair do Qd.o e ESPERAR    
[a ESPERA é um Motivo do Sebast.]
Well

- pelas 13 e 30, a caminho do STP, salta-lhe Mel, neta da prof. M. H. M. M. - Qd.a de 1617 (aquela que lia tudo menos....)-  , que o informou: do  seu périplo asiático de 4 meses pela I., V., L. e C.; das suas (muitas) indecisões de Momento; do lançamento de um livro da avó, no dia 12...
Aleluia

domingo, 1 de abril de 2018

quarta-feira, 28 de março de 2018

Viva a P., Viva a P., Viva o P. OU «A Casa dos 24»

1.º Bloco - 24 Doc. = 24 Disc.       

- Paraíso foi hoje,..: os P. fazem Milagres, logo podem ser F... («e o resto não se diz...»);
- ainda assim foi rápido (das 10 e 15 às 11 e 45...) (pudera, só falaram os ESP de serviço...)         («por quem sois, se me é permitida uma OP...»)
- venha a P., venha a P., venha o RUG.! LIB. ou M....

segunda-feira, 26 de março de 2018

«Mapa do Dia»

- 3.º Bloco, de manhã:
«casos clínicos» + «Rapaziadas» = 1 Hora (que há para aprender, ainda?...)
- 2.º Bloco, após o almoço:
Tudo sobre rodas fisicoquímicas... [ainda cochilou um pouco, M...;  APN, não é?]

sexta-feira, 23 de março de 2018

o Palácio 1718, por «ângulos encenados» ...

- já ninguém lhe chama «Hospital» - epíteto tontinho de quando tudo (ainda) era novo e cheirava a fresco...
             [se calhar, ainda se esperava a rápida conclusão do Bloco Preto...]
[agora cheira sobretudo a comida requentada em TPW.s...]

- ...apanhado por Certos ângulos, encenados, o Palácio até parece... («e o resto não se diz»...)



terça-feira, 20 de março de 2018

«Então, sou da Palavra» OU a Menina que veio da Imagem

22 e 50 e tal...
«Então, sou da Palavra...»
- «aparte» acabado de ouvir a J. B., «ex-AA», premiada por [...] na Gala da S. P. de A. - RTP 2 - do 38.º ao 44.º minuto

- Exposição de Ilustração (do Livro) a partir de 14 - 04 - no P3

quinta-feira, 15 de março de 2018

Envelopes, «partes gagas» OU «um tenista no Paraíso 17-18»

- foi a primeira vez que tal aconteceu a M.: em pleno Envelope, H. F., do 3.º Bloco, adormeceu...; fez uma «sestazita» e retomou, «cortando a Meta em algum esforço»
- indagado quanto a «já sofrer ou não de Insónias», «repontou» que «estivera a jogar ténis na noite anterior»
Well, «que viva o Ténis!»

quarta-feira, 14 de março de 2018

Envelopes, 4.ª Etapa

- («desvitalização», será o termo mais representativo do dia de ontem...)

- para «equilibrar» os Envelopes em Montagem, 3 Novidades:
- Adília Lopes, Estar em casa
- José Alberto Oliveira, De passagem
- Eric Nepomuceno, Bangladesh, talvez - e outras histórias

Serão para os próximos dias e para os C. de T.... (que Vício)

quarta-feira, 7 de março de 2018

«São farpões nos olhos» OU Alentejo na E. do P.


[das 9 às 10 e 30]
- após os 17' de «Sophia»,  por César Monteiro,  25 de Marta Mateus - uma 1.ª obra [...]
- o mais relevante, para M.: Espaço-Tempo suspenso; a Palavra-Memória-Poema...;  Infância revisitada...(«e o resto não se diz ...»)

- ao lado, C. F. e I. R.: 
- «estás a tirar notas?»
- já vou na quinta página; sou bom Men...

[M. G. e M. M., a alto nível...]

[artigo de A. G., de Julho, AQUI]

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

«A escola do paraíso», parte II

- 8 e 35
- repetiu-se com M. O., Mestre de G. das A. (recém-chegada, já referida AQUI), a «brincadeira» da E. do P.»

- depois de se ter confirmado Feliz na E. do P, foi informada de que «só havia duas...»
- «esta e a do Porto?»
- «não, a do Rodrigues Miguéis...»;          «queres que te faça o Filme»?
- e lá ficou de perguntar ao Pai (69, ex- Mestre da disciplina) se o tinha na sua Biblio...

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

MAPA DO DIA

- 10 e 10, à esquina da Ivens com a Capelo
- M. Peq. já está no 4.º de B.s A.s; acabada de regressar de 6 meses de Erasmus, em Budapeste...; conversa diversa...

- era o 1.º dia da Propina - que continua «congelada» (Grande Baile...), mas foi impossível resistir: dois para a Mat. e um para M.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

«Querido Pai» + quarta longa

- quando M. referiu a escassez de textos de E. de A. dedicados à Figura paterna, e que «ainda ontem relera um, que não era bonito», C. S., do 3.º Bloco, quis lê-lo...
SEGUE:
      Nada sabia de marés, com algumas partias, com outras regressavas. Um dia, já há muito, deixei de te ver. Disseram-me que morreste, e que foste meu pai. É capaz de ser verdade, e ultimamente tenho imaginado como terias morrido. Espero que tenha sido sobre os teus olhos, que foram muito belos, que a morte haja começado com rigor o seu ofício. Era neles que incidia o meu desejo. Quando penso em ti, vejo-te de órbitas vazias, um sangue escuro invadindo-te a boca. Apodreces. Apodreces como toda a gente, só um pouco mais de lado, porque a morte deve ter prosseguido o seu trabalho sobre o coração. Que procurava ela quando o levou à boca? Está agora sobre o centro do teu ser, aí refocila  voluptuosamente, crava os dentes até arrancar os teus mais viris ornamentos, e cuspir-tos na cara. Foi pena que já não pudesses ouvir as suas gargalhadas ao longo do corredor.
    Onde me espera.

Eugénio de Andrade, de Limiar dos pássaros (da secção "Verão sobre o corpo") (1ª ed.: 1976); transcrito da p. 271 da ed. de Poesia, de 2005


- das 16 às 17 e 30: «C. P.» suplementar, «sobre o Perfil»...; com adesão «massiva»... será já efeito do «DESCONG.»?
- das 17 e 30 às 19: REUN., pacífica, com as Pares
- UFF!

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

«Instantâneos» -

- manhã na Luz (hospital) para prescrição da «Máq. APN» [...]
- no jardim interior, senhora via também Envelopes de «639»...
- para o «Clube de Leitura» da Dr.a S. F., foi recomendado o livro «miscelânico» (de textos curtos) de Magris (aquis. recente de que pouco se leu, ainda)

Recorte:

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

«lavar escadas» + C. P.

DIA LONGO
- cerca das 8 e 25:
junto do «Bunker GTTi», M. contava, pelos dedos, os dias que sobram...
Dona GTT: «eu, se não andasse a lavar escadas...» [= a limpar CONDOM.]
M.: [...] 
Dona GTT: «em três prédios; ganho «x», aqui levo «y», para 11 horas diárias...

- cerca das 11 e 10:
no Qd.o do lado, a substituta de J. L,  M. O.; «arrasou a conc.»; diz que «fez DOUT. em Barcelona»...; [ainda terá idade para iniciar a CARR?]

- das 14 e 30 às 17 e 50:
atrasado, o C.P., devido ao C.G., acabou mais cedo,  também porque: 
[...]
- M. viu trabalhos de um Qd.o  e ainda sobrou...
[R. M.:
«falou mais hoje do que em todos os anteriores» ...
- PUM, PIM!, «Mariano ao Fundo!»
            ainda se ainda se pudesse jogar à (verdadeira) «Batalha Naval»...


domingo, 4 de fevereiro de 2018

Paraíso (alameda do)






- é a «Alameda do Tropel» (que vai diminuindo ao longo...); 

- termina na Praça «GTT» e, a seguir, «afunila»; 


- enquanto o grande Centro não abre (espera-se desde 1011...), é o principal espaço expositivo da «Escola do Paraíso»;


- M. fotografou (mal) três «reinterpretações» dessa Alameda, assinadas por Qd.s de 1.º Bloco...

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

«Homem Securitas», de novo

- hoje, pelas 8 e 35, 40
- «ó sr. R., essa data de Nasc. foi falsificada...»
[isto depois de este «H. S.» (12 h. cada Turno...), nascido em MOÇ.,  lhe ter dito que era 10 anos mais velho...; de 45!!! ]
- [idade «desmentida» pelo físico...«é  a Mestiçagem», coment. do próprio...]
- todos os (4) Nomes são Árabes, há «cruzamentos» de sangue de diversas proveniências, sugestivas histórias pessoais e de família, ... enfim, 
«um Mapa do que é ser Português...»
- M.: «E ainda não está reformado?» [....];           «tem que arranjar alguém que o entreviste e lhe escreva a sua ABG...»
(«e o resto não se diz...»)

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Susana Gorjão: Almada, Querubim, Pomar...

- registos explicados pela própria S. G. (sempre TRanquila...), esta manhã, pelo meio do dia, na Sala «Aquário» da Escola do Paraíso...

AQUI                                  e AQUI

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Quindombe (o Sr. W.)

- cerca das 10, no CONT. de Arroios;
- o sr W. é um FUNC. polido e tem uma voz bem timbrada...
- na placa, o N. próprio (W.) e o apelido (Q......)

M: estou aqui a olhar para o seu extraord. AP...
W.: sabe o que é que significa?
M.: não, diga...
W.: significa P....
M.: então, é-o duas vezes...; pelo Nome e... pelo resto...
[sorriso inclassificável; compustura manteve-se]
M.: e em que Língua?
W.: penso que em Qimbundo...; que não é L., é Dialecto...
[outro cliente...; o resto fica para a próxima...]

[sexta, 26: disse que nasceu em L., em 98 = 19 anos...]

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

«Exame», Sena

[o 2.º Q.do de 1718 apresenta o habitual Perfil das «50-50»[...]; ontem, uma das VDT.s  , «brandindo» uma das «listagens senianas»:
«Ó M., já ouviu falar de Jorge de Sena?» [Santíssima AR...]  ... lá foi  M. «reler qualquer coisinha...»]

«EXAME»

I
Estendo as mãos
eternamente as minhas mãos
e toco a realidade sem acreditar nela.

Há casos em que as mãos não perdem a luminosidade.

A crença que eu tenha vai delicadamente sobre elas
buscando a própria extensão com que as enchi.

II
Realmente existe um mármore com existe um desgosto.

E a força que distrai os homens visíveis da presença ambulante
é comum às pedras e em especial aos mármores
na apreensão da mínima diferença.

III
De mim conservo as mãos erguidas em redor do teu rosto,
e do teu rosto a praia extensa que o vento alisou para sempre

Não há pegadas senão o ruído das ondas.


Jorge de Sena, Coroa da terra, 1946

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Sonetos e palavrões - Duvivier

[seria o terceiro ou quarto texto que M. iria oferecer às distintas Figuras do C. P., amanhã; releu todos os textos de Sonetos (outubro de 2017), de Duvivier, mas D. interveio, alertando para a «deselegância» da escolha...
- fica aqui o soneto escolhido (só com um «Palavrão», coisa rara em tal livro...):

Repare nas pessoas conversando:
Não é um bate-papo, é uma luta.
Todos querem pra si o olhar do bando.
Ninguém se entende nem sequer se escuta.

Pode até parecer civilizado
Mas se olhar com cuidado e lucidez
Perceberá que quem está calado
Só espera chegar a sua vez.

Fale merda. Alguém no mesmo instante
Dirá uma merda mais irrelevante
Que não tem nada a ver com a merda acima.

Falar só serve para fazer barulho.
Este poema, mesmo, é um entulho.
Não muda nada - mas ao menos rima.

Gregorio Duvivier, Sonetos, Tinta da China, 2017 (out.), p. 17

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Pensar e Vender

[1 - 1 - 18: um dos raros cafés abertos no Bairro, na esq. da P. C., «à cunha», manteve hoje o preço do Café, a 50 cts...; é obra...]

- condensar 2017 em 15 anúncios - acompanhados de textos «surpreendentes» -  também é Obra; mas M. não sabe «condensá-la» em palavras... ;  

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

MAPA DO DIA

- penoso tempo, o das 13 às 15 e pouco...; eram 25 Mes à volta do Quad...; po especialistas, muitos...; 
- cheio do sono da APN,  M. ouviu a Figura do lado «classificar de poema» a sua intervenção «numérica»...
- foi o tempo ideal para continuar a leitura das narrativas ABG de Antonio Prata...

sábado, 16 de dezembro de 2017

«Romã para Eugénio» + Pausa

- lá se arrastou M. até ao fim da primeira Estação de 1718...;
- Envelopes terminados, faltam as P. [...]
- fica registada «uma Romã para Eugénio», contributo, de reprodução autorizada, da Sempre Discreta B. ... , do 2.º Bloco

 - recortes de No fim do Verão, O sal da língua, 1995

    No fim do verão as crianças voltam,
   correm no molhe, correm no vento. 
   Tive medo que não voltassem. 
[...]
Elas, frutos solares: 
laranjas romãs 
dióspiros. Sumarentas
no outono. [...]

A criança voltou. Corre no vento. 

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Leituras de «CP» + Envelopes + «Teoria Lírica»

-  (quarto) C. de Senadores - tal como S. M. disse, de «Imposssível Agenda»        - das 14 e 30 às 18 e 30 

- M. levou 3 livros, aquis. recentes, todos de «leitura curta»:
Pequenos Delírios domésticos, de Ana Margarida de Carvalho;
Nu, de botas, de Antonio Prata;
Myke Tyson para principiantes, de Rui Costa;
a) aproveitou para «fazer riscos» nos Envelopes, logo pouco leu...
b) ofereceu o texto da p. 93 do livro de...; «ninguém (lhe) ligou...»; melhor...

Excerto inicial:                    TEORIA LÍRICA
(poesia)

1. As minhas alunas têm-me nas mãos. Trazem milho segado na frente, grão de bico na asa

2. As minhas alunas cabem nas veredas. São tapetes à entrada das eiras. Subsistem no segredo e são sozinhas.

3. As minhas alunas voltam-se de costas só para não me verem. Eu sinto-lhes o cheiro.

4. Eu dou-lhes a pequena erva inútil
Digo-lhes amanhã morrerei.

[...]
Rui Costa, Mike Tyson para principiantes  – Antologia, Assírio & Alvim, 2017 (Setembro), p. 93



quarta-feira, 29 de novembro de 2017

À janela da cozinha (Simetria)

08 e 05
- à janela da cozinha do 1.º esq. (Dona L.): 
à esquerda, com a mão direita no queixo, a Mãe, com 86; à direita, com a mão esquerda no queixo, a Tia, com 93 [...];      [a Mãe partirá a 15 de janeiro]

- 08 e 40
- no Qd.o 600:
S. M., deslumbrada, folheia a edição especial da «Tabacaria», do Natal passado ...[«estou a partilhar os Tesouros da minha Bibl. com a prof. S. M....»] - disse M. para A., o primeiro do Qd.o O a chegar] 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

A menina que descende...

- já depois do final do Qd.º do 3.º Bloco, C. P., a Menina que andou no COL de M., veio falar sobre Mestre A. C....; pelo meio, falou das prof.s dos pais, do avô e do bisavô, que tinham o(s) mesmo(s) nome(s) e revelou que descendia de A. de C. O. ...
[foi o melhor do Dia... mas:...] [«e o resto não se diz...»]

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Maçã - Organização administrativa da - Ruy Belo

[reencontro resultante do percorrer dos índices dos livros de Ruy Belo, em busca de poema, outro, não este, para «PAO»...]

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA DA MAÇÃ

À sombra desta árvore recente-
mente nascida só de imaginá-la
outra vez volto incorrigivelmente
e em antigas águas molho a fala

Saúdo as novas folhas como quem
nas folhas tem a vida permitida
Meta mente física consagrem
os poetas a termos vozes de partida

Loucura podre perto de Setembro
marmóreo mar em que a vista é adunca
países confundidos não me lembro

da pátria que pariu cada lembrança
e cresce organizada na criança
madura mate mais maçã que nunca



transcrito da 4.ª ed. de Boca Bllingue (1.ª ed: 1966), Presença, 1997, p. 59

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

«De que me serviu ir correr mundo» - Maria do Rosário Pedreira

[dia perdido; corrida «descontrolada» a Coimbra e ... (para esquecer)] 
[«e o Resto não se diz...»]
-mas, pelas 20 e 45, o poema de M. do R. P. dito pela própria no Vida Breve de hoje:

De que me serviu ir correr mundo,
arrastar, de cidade em cidade, um amor
que pesava mais do que mil malas; mostrar
a mil homens o teu nome escrito em mil
alfabetos e uma estampa do teu rosto
que eu julgava feliz? De que me serviu

recusar esses mil homens, e os outros mil
que fizeram de tudo para eu parar, mil
vezes me penteando as pregas do vestido
cansado de viagens, ou dizendo o seu nome
tão bonito em mil línguas que eu nunca
entenderia? Porque era apenas atrás de ti

que eu corria o mundo, era com a tua voz
nos meus ouvidos que eu arrastava o fardo
do amor de cidade em cidade, o teu nome
nos meus lábios de cidade em cidade, o teu
rosto nos meus olhos durante toda a viagem,

mas tu partias sempre na véspera de eu chegar.


Maria do Rosário Pedreira, de Nenhum nome depois, Lisboa, Gótica, 2004, p. 59

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

«Silêncio Visual» - Tolentino Mendonça

[poema da semana, no quadrado]

O silêncio do jardim

O silêncio é também visual
apercebemo-nos dele no movimento
das folhas ao voltar-se
nessa espécie de caudal que se abre
semelhante a uma fronteira
ou a uma força mesmo descontando
as perdas

não há visitante a quem o jardim
não ceda o seu silêncio
e é interessante seguir a forma de cada um
subindo por esse começo

às vezes começo
às vezes partida em falso


José Tolentino  Mendonça, Teoria da fronteira, Assírio & Alvim, 2017 (maio), p. 29

domingo, 22 de outubro de 2017

Tratado da Mão: «Há silêncios que fazem muito barulho»



«para» a foto de Adriano Miranda (public. na terça)

Recorte: 
[...] Há silêncios que fazem muito, muito barulho. a fotografia de Adriano é um deles [...]

domingo, 15 de outubro de 2017

«Je est un autre» - Manuel Alegre

ALGUÉM FALA POR MIM

Alguém se debruça sobre o que escrevo
alguém se calhar escreve por mim.
Não são teorias da literatura. Nem bruxarias.
Sequer aquilo a que não gostam que se chame
inspiração. É uma coisa física
ultimamente vem de preto
uma espécie de sombra.
Talvez a minha cabeça 
esteja cheia de duplos. Um outro é eu
etc. e tal. Mas isso é literatura.
Esse não sei quê que se debruça e roça
pode ser talvez uma alucinação.
Quem é? De onde vem?
Aposto que se lhe perguntasse
metia-se à socapa no texto
e escreveria: António.
É o que sem dar por isso
ele (ou eu) está (estou) a fazer. António:
repete. António: repito.
E a mão escreve esse nome que está e não está
escrito.


Manuel Alegre, Auto de António, Assírio & Alvim, 2017 (outubro), p. 24


[«Fala de Âlcantara e depois», da p. 12, na CASA do autor]
[artigo de J. J. Letria, de 15 - 10, no DN


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

MAPA DO DIA + Daniel Jonas

- se, após cada REU, M. só se «acalmar» com novas..., não haverá ORÇ que resista em ano (s?) como este... (em 0001, havia...)
- mas, ontem, após a EST., lá se foi à BERT - ROMA:

- Manuel Alegre: Auto de António
- Daniel Jonas: Oblívio

de Oblívio (45 sonetos...):

NÃO CRESÇAS. NÃO AINDA. ESPERA UM POUCO.
P'ra sempre nestas linhas sê quem és.
Deter-te é contra a vida, um revés
Contranatura, eu sei, posso ser louco.
Eu sei que a vida passa e é urgente.
Eu sei que as flores se abrem prà beleza,
Não desconheço as leis da natureza,
Mas és tão de repente tu ingente!
A mão tão pequenina que me davas
E que ontem era minha hoje é tua, 
E ontem 'inda andávamos na rua
E davas-me a conchinha e a apertavas.
Pois bem, hei-de acertar meu desatino,
E em troca ser, velhinho, o teu menino.

Daniel Jonas, Oblívio, Assírio & Alvim, 2017 (Outubro), p. 55

[sublinhado acrescentado]


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

MAPA DO DIA

- cerca das 8 e 10, 15:
-atravessou, cumprimentou a D.ª Is. (há que anos...), «aproximou-se do  «Círculo de Feras» de FUM.s (C. SPP., P. M-H., J. A. T., R. S., e  F. B.), introduzindo (para lhe fugir) o  CONGEL. [...]
- «3 lamentos à frente», vinha vindo,  uma «Ex-AA», possível «descend. do Leste», «mergulhada» nos FON...; 
estacou, porque Olhada, talvez, e disse: 
- "como está, senhor?"     (prof., não)
 - "bem... ia tão Concentrada..."
- "vou para o trabalho..."
- [provocador] "mas o seu trabalho não é aqui?" [apontando para o Paraíso 1718]
- (pesarosa? saudosa?) "já foi..., agora moro aqui perto..." [O Coro conf.: "já há mais de 3, 4, anos..."
E lá foi, sem que M. lhe conseguisse perguntar «qual Trabalho...»...
E lá se passou à referenciação dos «EX-AA» que cada um encontra nos...
[MORAL:«eles passam, os Mestres FICAM» (por Ora...)

- cerca das 11 e 35, perto do final do Qd.o do 1.º Bloco: 
- A. C.: "... pôs-me a pensar..." [feliz ficou M.] - pouco depois: "lá gastei mal 45 euros...." - após insistência, revelou que fora consultar um VID.,  e que viera de lá... (e «o resto não se diz..»)

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Actas + «Na morte de um contabilista» - G. C.

- «designado» para a Acta do C. GERONT. de ontem (2 ou 3 abaixo dos 55...), das 14 e 30 às 17 e 45, com 95% de «palavras gastas», «o novo CHBY» espera que os próximos CAST.s sejam...
- por isso, só «esporadicamente» o novo livro de Gastão Cruz o «salvou»...

NA MORTE DE UM CONTABILISTA

As contas estão feitas e decerto fechadas
(não sei se são sinónimos os termos com que tento
descrever em que ponto
final foram deixadas)

falávamos há dias das actas que faltavam
e em falta ficaram

não as irá fazer e não sei se isso importa
só se fará a acta da entrada no fogo
ou na terra,
ar e água talvez não façam falta

Gastão Cruz, Existência, 2017 (Setembro), Assírio & Alvim, p. 59 (da 3.ª secção, «Factos»)

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

603

[semana do 5 de Outubro, que bom]
- afinal, M. já se adaptou ao Qd.o «603» - do lado da sombra, neste tempo de Aquec. G...., bem bom...
- o único senão é a «Narrativa» (H. C. A.) que «emana» da  porta (aberta) da frente... [quem vai «ganhar» a Guerra das Portas?, das «Rosas», não...]
Well
- [ai, o cheiro com que entrou o primeiro Bloco, pelas 10 e 25....]

sábado, 23 de setembro de 2017

«Fuzilamento Fotográfico»

Cerca das 9 e 40, na Lavandaria da rua F. S.

A Dona I. [uma verdadeira T. I.»]  ainda estava «exaltada». Disse que «tinha ido atrás de um Fulano que, inopinadamente, surgira à porta, com um equip. assustador e a fotografara»; «chamou-o à razão do respeito pelo direito de cada um à sua Imagem» (esta parte, inventada agora, por M.) e pediu-lhe que «apagasse a foto, que exigiu ver»; mas acrescentou que «não sabe se o F. cumpriu ou não a sua (LEGÍTIMA) exigência...» 
- Ah, Valente, seja como for.