domingo, 17 de maio de 2015

Cantar de Amigo - Ana Luísa Amaral

[para M. M. M. (A.), que se «encantou» com o Género, criando uma Joia «para»  C. de A. de D. Dinis, de «Incipit» " - Amigo querede-vos ir" 
- AQUI e AQUI- «YT» (versão musicada e cantada)]

Revisitação do Género em poema do recente livro de Ana Luísa Amaral, que «dialoga» com o mais «conhecido» texto do «Cancioneiro Dionisíaco»... -

[Transcrito incompleto]

PEQUENO CANTO DO AMIGO

Ay mar, ay mar tão escuro e fundo,
se sabeis novas do meu amigo, 
ai mar e u é?

              Sem novas, minha amiga,
             que o mar desta cantiga
             é onde o vosso amigo:

Ay tempo, ay tempo tão sustido,
se parastes ao ver o meu amigo, 
ai tempo  e u é?

              Sem novas, minha amiga,
             que o mar desta cantiga
             é onde o vosso amigo:

Ay canto, ay canto tão parado,
deixai-me pelo menos 
ficar do meu amigo
algo lembrado

[...]


Ana Luísa Amaral, E Todavia, 1.ª ed., Assírio & Alvim, 2015 (Abril), pp. 49, 50